Quinta, 26 de Maio de 2022
28°

Alguma nebulosidade

Goiânia - GO

Educação Meio ambiente

Identidade regional para a preservação do Cerrado

Como reconhecer a realidade local ajuda os alunos a compreender a necessidade da preservação do meio ambiente

11/05/2022 às 11h09
Por: Gideone Rosa Fonte: Mackenzie/GP
Compartilhe:
Gabiroba, um dos frutos do Cerrado brasileiro. / Foto: Divulgação/Editorial
Gabiroba, um dos frutos do Cerrado brasileiro. / Foto: Divulgação/Editorial

Ao longo dos últimos anos, cresceu a preocupação dos jovens com o uso sustentável dos recursos naturais e os estudos* na área apontam que este sentimento de proteção é maior quando há uma identificação do estudante com a natureza que o circunda.

Dentro das escolas, os professores têm se dedicado a adotar metodologias que provoquem nas crianças e adolescentes uma empatia com a fauna e a flora existentes nos lugares em que residem. Conhecer esta realidade é uma forma de criar afinidade com a diversidade de seres que ali vivem.

“O trabalho em sala de aula é voltado para a classificação de plantas e animais do Cerrado para que eles compreendam o que há de especial nessa biodiversidade”, informou o professor Rodrigo Borges. “O que é essencial para conhecer a relação de interdependência que temos com a natureza”, completou.

Conscientizar aqueles que serão os adultos de amanhã é também garantir que as riquezas nativas do país serão manuseadas com mais sabedoria no futuro. O aprendizado sobre estes processos faz toda a diferença na forma como são percebidos os ganhos científicos que este ecossistema traz.

Como explica o professor de Biologia, “a exploração destes bens, quando acontece de forma responsável, pode originar muitos produtos úteis para a sociedade. Ademais, ao estudar estes recursos, os alunos podem encontrar biotecnologias que ainda estão escondidas ali”, disse ele.

Apesar de ser o bioma mais antigo e o segundo maior do Brasil, o Cerrado é o mais ameaçado de todos. Além de não contar com a mesma proteção que a Floresta Amazônica tem, o solo da savana brasileira depende de um complexo sistema de aquíferos subterrâneos e que, uma vez devastado, não voltará a se recuperar.

O contato que faz a diferença no retorno ao presencial

Após ficarem quase dois anos sem o convívio escolar - e alguns nunca o tiveram - muitos estudantes viram diminuir a proximidade que tinham com a natureza. Para superar o tempo perdido, os educadores têm apostado em atividades que promovam a interação ao ar livre.

“Com a reclusão social devido às medidas de segurança contra a covid-19, os jovens deixaram de andar por aí e não puderem observar as belezas que o Cerrado oferece. Estar inserido no meio-ambiente desperta neles a curiosidade de entender como funciona a natureza à sua volta”, comentou Borges.

A proposta do professor é realizar passeios com destino a reservas naturais da região para colocar em prática o conhecimento repassado em sala de aula, mudando a didática da biologia para uma metodologia prática e palpável que propicie um interativo saber ecológico.

A iniciativa pode mudar a concepção errada que muitas pessoas têm do Cerrado. “Quando falamos sobre, é comum que se pense em um local inóspito de vegetação seca e composta por árvores retorcidas, mas sabemos que esse bioma não se reduz apenas a isto. Há muitas paisagens belas a serem exploradas”, expressou ele.

Além dos tesouros que ainda não foram descobertos, o professor menciona que as expedições também partirão rumo a estações regionais de pesquisa. A decisão foi baseada em um modo pelo qual a produção científica brasileira possa ser valorizada.

“Muitas instituições brasileiras realizam estudos com as espécies nativas do Cerrado. Durante as excursões, apresentaremos os diferenciais do bioma, destacando a Ciência local e demonstrando como o aproveitamento responsável desses recursos pode trazer benefícios para todos”, concluiu.

Consciência ambiental

*Um estudo apoiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo e divulgado em 2020 na revista Science, demonstra que os jovens têm se preocupado mais com o meio-ambiente nos últimos anos. Por mais que a educação difundida sobre o tema seja padronizada para todo o país, especialistas informam que a identificação com a realidade regional cresce nos estudantes o interesse em preservar a natureza. Como prova deste fator estão as populações das regiões amazonenses que consideram que o assunto tem uma grande importância para o futuro da sociedade.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias