Quinta, 27 de Janeiro de 2022
21°

Muitas nuvens

Goiânia - GO

Brasil Estradas

Pesquisa mostra maior preocupação dos brasileiros nas estradas no pós-pandemia

Levantamento aponta quais as inseguranças das pessoas quando o assunto é transporte rodoviário.

18/12/2021 às 09h38
Por: Gideone Rosa Fonte: 3M/Goiás Press
Compartilhe:
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Realizado pela 3M em 11 países, levantamento aponta quais as inseguranças das pessoas quando o assunto é transporte rodoviário. No Brasil, negligência de outros motoristas é a principal preocupação.

Aos poucos os brasileiros estão voltando à rotina pré-pandemia e, com a proximidade das festas de fim de ano e férias escolares, muitas famílias começam a se preparar para viajar. Nesse contexto, uma recente pesquisa realizada pela 3M mostrou a preocupação da maioria das pessoas com a segurança do transporte e das estradas em um mundo pós-pandemia. A pesquisa foi realizada entre os dias 9 e 26 de outubro de 2021 em 11 países: Brasil, Canadá, China, França, Alemanha, Índia, Japão, México, Coréia do Sul, Reino Unido e Estados Unidos, com uma amostra de 22 mil pessoas.

Quase metade dos brasileiros planejam viajar nos próximos 6 meses, sendo que a maioria, durante as festas de final de ano. Deste universo, 66% pretendem utilizar as estradas do país. Apesar de otimistas, mais de 2/3 deles se preocupam com as condições das vias, e esse percentual aumenta para 81%, quando se considera os deslocamentos em períodos de alto fluxo, como nos feriados.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, a cada 24 segundos, uma pessoa ao redor do mundo morre em um acidente no trânsito - são 1,3 milhão de vítimas a cada ano. Ainda segundo a OMS, em 2020, o Brasil estava em quinto lugar entre os países que quebraram recordes de fatalidades no trânsito, precedido pela Índia, China, EUA e Rússia, seguido pelo Irã, México, Indonésia, África do Sul e Egito.

Este triste número reflete outro dado da pesquisa encomendada pela 3M e realizada pela consultoria Morning Consulting, que constatou que 1/3 dos entrevistados globais tem um membro da família ou amigo próximo que morreu ou foi gravemente ferido em um acidente de carro, sendo que 40% deles teriam ocorrido nos últimos 18 meses. No Brasil, mais da metade (52%) dos entrevistados disse ter passado por uma situação equivalente.

No Brasil, quando questionados sobre preocupações específicas relacionadas à segurança rodoviária, quase todos os entrevistados estão preocupados com o comportamento de outros motoristas e com a visibilidade em uma variedade de condições das estradas. As cinco principais preocupações dos brasileiros na estrada incluem:

Motoristas mandando mensagens de texto ou falando ao telefone enquanto dirigem (93%), contra 86% da pesquisa global;

Negligência de outros motoristas (90%), contra 83%;

Visibilidade noturna (87%), contra 75%;

Mau tempo (87%), contra 77%;

Estradas curvas ou curvas fechadas (86%), contra 72%.

Quando se trata do trânsito urbano, no Brasil, quase a metade (47%) sente que não tem acesso confiável e seguro às faixas de pedestres e (44%) não confia no transporte público. Entre as preocupações com o transporte, quase universalmente (90%) têm medo principalmente da chegada e saída de seus filhos da escola.

Além disso, no Brasil, 89% dos entrevistados acreditam que os órgãos responsáveis deveriam fazer mais para viabilizar o acesso seguro à coexistência de meios alternativos de transportes, como bicicletas, com os veículos e pedestres.

"Os resultados da pesquisa global reafirmam que a melhoria da segurança nas vias públicas, urbanas e rodoviárias e do transporte em todo o mundo deve permanecer como prioridade máxima, especialmente à medida que o número de colisões de trânsito aumenta", comenta Paula Abreu, Relações Institucionais da divisão de Segurança do Trânsito da 3M na América Latina. "A segurança nas vias públicas deve ser orientada pela visão da prevenção: o conceito das “estradas que perdoam”. Prevenir acidentes e fatalidades no trânsito não só é possível, como economicamente viável, uma vez que ainda contribui com reduções de gastos na saúde, para tratamento dos vitimados, e previdência social, com afastamento de emprego ou previdências precoces”, completa.

 Divulgação 3M - Unidade Manaus

3M Mobiliza

Foi justamente esse cenário que motivou a criação do Programa 3M Mobiliza, no Brasil, para auxiliar a reduzir o nível de mortalidade no trânsito no Brasil, especialmente no que tange às sinalizações das vias e dos veículos. Voltado ao público profissional do setor, o programa visa engajar as entidades públicas e privadas a serem protagonistas nas mudanças necessárias para um trânsito mais seguro, oferecendo treinamentos técnicos relativos à sinalização, para a redução de fatalidades no país. Com o mote “3M Mobiliza, porque no trânsito, o que importa é a vida”, o programa já alcançou mais de 2.5 mil pessoas, desde sua origem, em 2016.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias