Cabreu Voip
Termogênicos

Alimentos termogênicos: quentes, saborosos e saudáveis

Melhorar a imunidade, acelerar o metabolismo e ação antioxidante são alguns benefícios dos alimentos termogênicos para a saúde

Agro Press

Agro PressEssa é a coluna do que move o nosso país

15/07/2020 09h03
Por: Gideone Rosa
Fonte: A Lavoura
215
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Adotar e manter uma alimentação saudável permanece questão de saúde pública. Como a Covid-19 ainda se mantém com altos índices de contaminação, mesmo já passados alguns meses desde o início no Brasil, é fundamental que a população mantenha, o máximo possível, sua imunidade reforçada, principalmente as pessoas que fazem parte do grupo de risco para o novo Coronavírus, como idosos, hipertensos e diabéticos.

Com o início da flexibilização do isolamento social em alguns Estados brasileiros, é preciso que haja cuidados redobrados para evitar a contaminação.

Um dos caminhos para que todos se protejam da doença, preservando o organismo saudável e resistente, é, sem dúvida, conhecer os alimentos que, além de saborosos, são muito nutritivos e trazem grandes benefícios, como aumentar a imunidade, tão necessária neste momento.

“Cuidar da nossa saúde por meio da alimentação deveria ser uma rotina, assim como escovar os dentes e lavar as mãos – ato que se tornou um dos símbolos de proteção neste período de pandemia”, afirma Beatriz Cantusio Pazinato, nutricionista da Secretaria de Agricultura e Abastecimento de São Paulo, que atua na Divisão de Extensão Rural (Dextru) da Coordenadoria de Desenvolvimento Rural Sustentável (CDRS).

Ela adverte que muitas doenças crônicas da atualidade, como diabetes e hipertensão, podem ser adquiridas devido à alimentação indevida.

Perda de peso

Pimentas, gengibre, canela, cominho, entre outras especiarias, são alimentos termogênicos. Foto: Pinterest

Nesse cenário, os alimentos termogênicos ganham destaque, pois, segundo a especialista, eles exigem maior energia para que sejam digeridos pelo organismo, fazendo com que o gasto calórico, durante a digestão, seja maior. “Todos os alimentos, ao serem digeridos, demandam consumo energético desde a etapa da mastigação, até a absorção final dos seus nutrientes, inclusive elevando a temperatura corporal durante esse processo”, explica Beatriz.

De acordo com a especialista, estudos apontam que aos alimentos conhecidos como termogênicos têm propriedades que aceleram o metabolismo e, consequentemente, favorecem o gasto calórico”, relata, salientando, no entanto, que “a ingestão desses alimentos, de forma isolada, não é suficiente para garantir a perda de peso, por exemplo”.

Para isso, esclarece Beatriz, é necessária também a prática frequente de atividade física e o consumo de alimentos equilibrados, de acordo com as necessidades nutricionais de cada indivíduo. “Para conseguirmos emagrecer, precisamos gastar mais calorias do que ingerimos”, orienta.

Os termogênicos podem desempenhar papel importante para manter a saúde e o peso “em dia”, avalia a nutricionista, pois “sabe-se que esses alimentos são capazes de acelerar o metabolismo, além de terem ação antioxidante, melhorar muito a imunidade do organismo – essencial nestes tempos da pandemia de Covid-19 -, e, ainda, diminuir a flatulência (gases), entre outros benefícios”, enumera.

Quais são plantas termogênicas

A engenheira agrônoma da Secretaria de Agricultura e Abastecimento de São Paulo, que atua na Dextru/CDRS, Maria Cláudia S. G. Blanco , conta que são várias as plantas consideradas termogênicas, dentre elas, muitos temperos e especiarias comumente usados na culinária do dia a dia . “O que é um presente ao paladar e torna a alimentação nutritiva ainda mais saborosa e convidativa”, comemora.

“Temos como exemplos dessas plantas – continua a agrônoma -, as pimentas em geral, o cravo, a canela, o gengibre, o cominho, o cardamomo e a mostarda; plantas ricas em óleos essenciais, os quais são constituídos por compostos que atuam favorecendo a saúde, além de conferirem sabor e aroma aos alimentos”.

Cultivando em casa

A especialista informa que esses produtos estão disponíveis no mercado, cultivados por agricultores que trabalham arduamente para a população ter segurança alimentar. “No entanto, neste momento em que muitos ainda estão em distanciamento social, existem plantas termogênicas que podem ser cultivadas em casa, seja no jardim, no quintal, na varanda, ou, até mesmo, em vasos e jardineiras. São plantas úteis para a nossa alimentação diária”.

A engenheira agrônoma da SEASP selecionou três dessas plantas que podem ser cultivadas de forma caseira. “Além da propriedade termogênica, elas possuem atributos que conferem sabor, aroma e benefícios medicinais para diversas preparações culinárias”.

Confira as dicas das plantas termogênicas escolhidas por Maria Cláudia e comece a cultivar saúde em casa:

A raiz do gengibre, um expectorante natural, pode ser consumida fresca ou desidratada. Foto: Arquivo

GENGIBRE (Zingiber officinale)

Originário da Ásia, o gengibre é uma planta perene rizomatosa que pode atingir um metro de altura. O rizoma carnoso é a parte comestível da planta, sendo utilizado na culinária, na agroindústria de bebidas e alimentos, na perfumaria e na produção de medicamentos e cosméticos.

Prefere clima quente e úmido com precipitação (chuvas) de no mínimo 1.500mm/ano. Exige solo fértil, leve, bem drenado e rico em matéria orgânica.

O plantio deve ser feito em local definitivo, por meio de rizomas que tenham de 5cm a 10cm de comprimento e com gemas túrgidas (em início de brotação). Os rizomas são colocados em sulcos de 10cm a 15cm de profundidade e cobertos com uma camada de 5cm a 10cm de terra. A adubação de plantio é feita com cinco toneladas de composto orgânico por hectare.

Caso seja necessário o plantio em vaso, este deve ser grande e de boca larga, capaz de comportar os rizomas crescidos e facilitar a colheita. Utilizar composto orgânico e adubos orgânicos para hortaliças, como torta de mamona.

O gengibre deve ser plantado de setembro a novembro. A colheita se dá após sete até 10 meses do plantio, quando as folhas secam. O espaçamento recomendado é de um metro entre linhas e 40cm entre plantas.

Os principais cuidados são a manutenção da umidade do solo, mas sem encharcamento; a realização de amontoas (chegamento de terra no colo da planta) para cobrirem os rizomas superficiais, de três a quatro vezes durante o ciclo da cultura (no vaso, basta colocar terra à medida em que eles aparecerem na superfície); e a adubação de cobertura, que deve ser realizada em dois momentos usando-se cinco toneladas de composto por hectare antes da primeira amontoa (90 dias) e cinco toneladas de composto por hectare antes da terceira amontoa (150 dias).

O gengibre pode ser consumido fresco ou desidratado e é utilizado em diversos produtos medicinais como xarope e pastilhas, em variadas preparações culinárias doces ou salgadas e em chás, sucos e outras bebidas como o quentão, típico das festividades juninas brasileiras.

PIMENTA (Capsicum spp)

De vários formatos e cores, as pimentas são ricas em capsaicina, um eficaz analgésico natural. Foto: Arquivo

Há vários tipos de pimentas, com diferentes formatos, cores, aromas e graus de pungência. Existem espécies para todos os gostos. Algumas têm o ardor bastante pronunciado e outras apenas incrementam os pratos com leve sabor e aroma. Muitas são originárias das Américas, inclusive do Brasil.

Ao escolher a variedade para plantio, selecione a que mais agrade o paladar. Considere também a resistência da variedade às doenças que mais ocorrem nessa cultura. Dentre as mais cultivadas no Brasil, temos a dedo-de-moça, cumari, de cheiro, malagueta, biquinho e pimenta-de-bode.

Podem ser plantadas no campo ou em vasos, neste caso, utilizar húmus de boa qualidade, sementes ou mudas de boa procedência e fertilizantes orgânicos para hortaliças, como torta de mamona, geralmente encontrados em bons estabelecimentos agropecuários.

No campo, o plantio das mudas produzidas em viveiro é feito em sulcos de 30cm a 40cm de largura por 20cm a 25cm de profundidade, distanciados por 80cm ou em covas de 20x20x20cm, espaçadas de um a 1,5m entre linhas e de 0,5m a 0,9m entre plantas.

A adubação de plantio é realizada com 15 até 40 toneladas/ha de composto orgânico ou esterco de curral curtido. A adubação de cobertura, com 50g a 100g por planta de torta de mamona, deverá ser dividida em quatro aplicações, sendo uma delas no início do florescimento e outra na frutificação.

A pimenteira pode produzir por vários meses, por isso, recomenda-se que seja tutorada com meia estaca (pode ser de taquara ou bambu) e feita uma poda após o término de cada colheita, estimulando a rebrota da planta. A colheita se inicia de 90 a 140 dias após o plantio, dependendo da variedade, do manejo etc.

As pimentas são consumidas frescas, desidratadas ou em conserva. Compõem diferentes pratos salgados e doces, oferecendo-lhes um toque picante ou “de cheiro” que os tornam especiais e inesquecíveis.

COMINHO (Cuminum cyminum)

Um dos componentes do famoso “curry” , o cominho é …

Nativo do sul da Rússia, o cominho é uma erva aromática anual com cerca de 50cm de altura. Usada como tempero, é um dos componentes do famoso “curry”.

É utilizada, também, em preparações medicinais, especialmente para combater distúrbios digestivos.

A parte usada é o fruto, denominado aquênio (popularmente chamado de semente). Trata-se de um fruto simples e seco, com uma semente aderida por um único ponto em sua parede, característica típica das plantas da família Apiaceae, entre elas a erva-doce e o funcho.

O cominho é uma planta de clima subtropical; a temperatura ideal de cultivo se encontra na faixa de 10°C a 26°C, não suportando clima muito quente e seco. Prefere solo areno-argiloso, com pH em torno de 6,2, rico em matéria orgânica e cálcio.

A propagação é feita por sementes em sementeira ou viveiro para formação de mudas. Ao atingirem entre 5cm e 10cm de altura, podem ser transplantadas para os canteiros, obedecendo espaçamento de 30cm a 40cm entre linhas e de 15cm a 25cm entre plantas.

… usado como tempero e em preparações medicinais. Fotos: Pinterest

Pode ser facilmente cultivado em vaso ou jardineira, utilizando-se composto orgânico e adubos orgânicos adequados para hortaliças, encontrados em bons estabelecimentos agropecuários.

O solo deve ser mantido úmido, sem proporcionar encharcamento. O cominho precisa de algumas horas por dia de sol direto para seu bom desenvolvimento.

RECEITAS

• Salada de couve com gengibre

Ingredientes:

1 pires de couve mineira cortada bem fininho; 1 pires de brócolis cozido “al dente” (mais firme) e cortado;1 pires de beterraba ralada; 1 colher (das de sopa) de gengibre ralado, para temperar; 1 colher de sopa de vinagre de maçã; ½ limão; 1 “fio” de azeite; sal a gosto.

Preparo:

Coloque a couve, o brócolis, a beterraba e o gengibre ralado em uma vasilha. Misture. Tempere a salada com sal, azeite, vinagre de maçã e limão. Sirva e bom apetite!

• Sopa de abóbora com cominho

Ingredientes:

1 quilo de abóbora ou moranga cortada em cubos sem casca e sem sementes; 1/2 maçã descascada e sem sementes; 1 batata pequena descascada e picada; 1 cebola picada; 1 cenoura cortada em rodelas; 2 dentes de alho; 2 colheres (chá) de cominho; 3 colheres (sopa) de cheiro-verde fresco picado (salsinha e cebolinha); 3 xícaras (chá) de caldo de galinha já preparado; 1/2 xícara (chá) de leite; sal a gosto.

Preparo:

Colocar todos os ingredientes, menos o leite e o cheiro-verde, em uma panela grande. Cozinhar em fogo médio, com a panela tampada, até que os legumes estejam cozidos. Bater todos os ingredientes no liquidificador. Voltar à panela, juntar o leite, o cheiro-verde, mexer e acertar o sal, se necessário. Servir bem quente. Rendimento: de 4 a 6 porções.

Aproveite os termogênicos naturais

Termogênico quer dizer “que produz calor”, mas os alimentos termogênicos naturais transcendem seu significado: eles apresentam dificuldade ao serem digeridos pelo organismo, demandando o consumo de maior quantidade de energia e calorias para realizar a digestão.

Assim, induzem uma aceleração do metabolismo, fazendo com que o corpo queime mais calorias.

Como são ricos em vitaminas e minerais e têm propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias, fortalecem o organismo, aumentando sua imunidade.

Veja abaixo os benefícios de alguns alimentos termogênicos naturais:

A saborosa canela é ótima aliada no combate à Covid 19 por melhorar o sistema imunológico. Foto: Pinterest

CANELA

É uma especiaria obtida a partir da casca interna do tronco de várias espécies de árvores do gênero Cinnamomum (família Lauraceae), conhecida como caneleira, cuja casca tem coloração marrom-avermelhada e é nativa do Siri- Lanka.

Nestes tempos de Covid 19, quando é acentuada a importância de um organismo forte e resistente na prevenção e combate à doença, a canela pode ser uma excelente aliada, pois melhora o sistema imunológico e acelera o metabolismo.

Além de possuir aroma único, a ação antioxidante e anti-inflamatória desta especiaria, ajuda no controle do colesterol e triglicérides, eliminando também os radicais livres, que são responsáveis pelo câncer.

É rica em cálcio, vitamina A, vitamina C, fósforo e magnésio.

Recomenda-se adicionar a saborosa canela moída em frutas, no leite, iogurtes, mingaus variados ou consumi-la em pau, na forma de chá.

PIMENTA

(Da esquerda para direita, de cima para baixo) Dedo-de-moça, cumari, de cheiro, malagueta, biquinho e pimenta-de-bode são algumas das espécies de pimenta mais cultivados no Brasil. Fotos: Arquivo

Com várias e coloridas espécies, de inigualável sabor característico, é rica em uma poderosa substância chamada capsaicina, um eficaz analgésico natural. Já era usada como remédio para dor de cabeça na medicina tradicional romana, grega e árabe.

A capsaicina confere a coloração avermelhada às pimentas. Já as de cor amarelada, são ricas em carotenoides, também importante antioxidante. Ambas as substâncias previnem o surgimento de doenças degenerativas, tais como o Alzheimer, o Parkinson e, até mesmo, o câncer.

As pimentas Capsicum ainda são ricas em vitamina C, nutriente relevante para a prevenção de gripes e resfriados. Essa vitamina também é eficaz no fortalecimento dos ossos e dentes, além de melhorar a absorção de ferro no organismo. São boas fontes de vitaminas E, B6 e K, assim como de minerais como o cobre e o potássio.

Quanto mais picante a pimenta, mais elevado é o teor de capsaicinoides, e maiores suas ações antimicrobiana, anti-inflamatória, anticancerígena, entre outras.

Todos os tipos de pimenta, da mais ardida à aromática e leve ardor, podem ser usadas como tempero de pratos quentes, saladas e, até mesmo, para incrementar pratos doces, como o famoso chocolate com pimenta e a inconfundível geleia. Recomenda-se cerca 3 a 4 gramas ao dia.

GENGIBRE

É antioxidante, atuando na prevenção de doenças como gripes, resfriados, câncer e envelhecimento precoce.

Além disso, tem ação anti-inflamatória, melhorando os sintomas de artrite, dor muscular e doenças respiratórias, como tosse, asma e bronquite.

Ajuda prevenir doenças como câncer do cólon-retal e úlceras no estômago.

O gengibre é uma raiz utilizada em chás. Suas raspas podem ser adicionadas na água, em sucos, iogurtes ou saladas. Também é ótimo para ser consumido cru, como tempero de aves e peixes, refogado, ou batido no liquidificador com frutas. É refrescante e saudável quando colocado na garrafinha de água que você consumirá ao longo do dia.

COMINHO

Semente de uma planta medicinal, a alcaravia, o cominho é usado principalmente como condimento em pratos culinários por seu sabor marcante e aroma forte. Também é eficaz como remédio caseiro em problemas digestivos e flatulência.

Seu nome científico é Cuminum cyminum e é utilizado na forma de semente inteira – ou triturada -, e em pó. Comumente encontrado em mercados, lojas de produtos naturais e feiras livres.

Dentre os inúmeros benefícios do cominho para a saúde, podemos citar a melhoria da digestão, redução de formação de gases, cólicas e dores abdominais, diminuição da retenção de líquidos e, especialmente, fortalecimento do sistema imunológico, por conter grandes quantidades de vitaminas do Complexo B e Zinco.

O cominho em pó e na forma de semente, são usados como tempero de sopas, caldos, carnes e diversos pratos de carne. Já as folhas e sementes são boas para se fazer chá.

CHÁ VERDE

O chá verde previne muitas doenças causadas por vírus, bactérias e fungos. Foto: Arquivo

O chá verde é preparado a partir brotos e folhas de uma erva chamada Camellia sinensis. Contém polifenois, vitaminas C, K, B1 e B2, manganês, potássio e ácido fólico. São substâncias que melhoram o funcionamento do sistema imunológico, prevenindo, assim, infecções, inflamações, cáries e muitas doenças causadas por vírus, bactérias ou fungos.

É rico em antioxidantes e outras sustâncias, como a cafeína, que favorecem o gasto de energia pelo organismo e aceleram o metabolismo, facilitando a queima de gorduras.

Graças a seus flavonoides, o chá verde ajuda a proteger o vigor do coração, pois diminui as chances de formação de coágulos nas artérias.

Também possui quantidades consideráveis de nutrientes que são essenciais para o bom funcionamento do organismo, como o manganês, potássio, ácido fólico, vitamina C, vitamina K, vitamina B1 e a vitamina B2.

OUTROS TERMOGÊNICOS NATURAIS

• Chá branco;

• Chá-mate;

• Água gelada,

• Água de coco;

• Café;

• Hortelã;

• Cavalinha;

• Soja;

• Alho;

• Cebola;

• Curry;

• Maçã;

• Laranja;

• Vinagre;

• Folha de mostarda;

• Aspargo;

• Sardinha;

• Bacalhau;

• Salmão;

• Anchova;

• Cenoura;

• Couve;

• Brócolis.

Fonte: Secretaria de Agricultura e Abastecimento de São Paulo – Divisão de Extensão Rural (Dextru) – Coordenadoria de Desenvolvimento Rural Sustentável (CDRS)

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.